Teatro de Fantoches: “O fim da Picada”

Foi apresentada uma peça de teatro com fantoches sobre a temática prevenção a Dengue na Escola Estadual Professor Djalma da Silva. Com a parceria de Wanda do departamento de educação em saúde da secretaria municipal de saúde juntamente foi possível proporcional um momento fantástico sobre saúde para as crianças.

Teatro “O fim da Picada”

Autor (a): Wanderlandia C.S. de Morais

 Elenco:

– Wanderlandia C.S. de Morais, intepretando Aninha e Agente de saúde;

– Lucinéia Albiero interpretando Felipe e “Mosquita” da dengue

– Arnaldo Catelan interpretando Papai

Aninha entra cantando:

“O sapo não lavo o pé

Não lava porque não quer

Ele mora lá na lagoa

Não lava o pé por que não quer…”

Aninha interage com o publico…

Narrador: (suspense) … e voando por ali o mosquito da dengue fêmea observa a sua vitima perfeita.

 Mosquita da dengue: (entra cantando)

(Roberto Carlos)

“Demorei tanto pra te achar

Alguma forma de ti picar

Como é grande o meu amor por você…”

 Hummm!!! Que delicia, uma criança bem rosadinha com sangue quentinho para eu sugar e fortificar os meus ovinhos!!! Vou ver se nesta casa eles também colaboram com o crescimento da minha família? – Nossa que maravilha, não é que eles ajudaram mesmo, tem até o bercinho pronto para minhas futuras larvinhas. Nossa!!! Que vaso de flor cheio de água, garrafas abertas, brinquedos jogados no quintal e deve ter muito, mas muito mais. Perfeito!!! É aqui que vou colocar os meus ovos que vão se tornar larvas, pupas e finalmente mosquitos adultos igual à mamãe e sairemos juntos voando, voando, picando, picando todo mundo!!! Há há há há há há (Mosquita sai de cena).

Aninha: (grita) Pai, … paiiiiiii…. papai, papaaaaiiiiiiiii

Pai: (sai do banho e entra em cena com toca de banho na cabeça) O que foi Aninha? Mas será que não posso não tomar meu banho sonegado?! Desse jeito não consigo nem cuidar da minha cabeleira, com tanto cabelo que tenho, preciso de um tempo enorme para lavá-lo…

Aninha: Pai, eu acho que um bicho me picou!

Pai: Mas que bicho foi esse?

Aninha: Acho que foi um pernilongo, um mosquito, não sei…

Pai: Mas você conseguiu ver?

Aninha: vi sim, ele era pretinho com manhinhas branquinhas, mas ele foi embora, voando bem rapidinho.

Pai: tomara que não seja o mosquito contaminado com o vírus da dengue.

Narrador: depois alguns dias…

Aninha: Ai, ai, ai pai… Paiiii… ai, ai, ai…

Pai: (entra desta vez sem a toca, mostrando sua careca). Filha, denovo vocês está gritando.

Aninha: Ai pai, estou com muita dor de cabeça. Minha cabeça esta doendo muito e estou com vontade de vomitar, me coçando toda, com dor de barriga, dor no joeljho, no cotovelo, dói tudinho tudinho cada pedacinho meu. Ai esta doendo tudo!

Pai: Aninha, vamos para a o postinho de saúde de nosso bairro. Acho que você pode estar com dengue.

Aninha e pai saem de cena e entra irmão de aninha, Felipe.

Felipe: Aninhaaaaaa, papaiiii, tem alguém em casa?? Oiiiii, cadê vocêssss??? Ai meu Deus… Cada minha irmãzinha e meu papai??? Alguém sabe onde eles estão? (Felipe interage com o publico).

Agente comunitário da Dengue: Toc, Toc, Toc, Toc, Toc…

Felipe: pessoal, espere só um pouquinho, vou atender a porta

(Felipe sai de cena, atende a porta e pergunta quem é)

Agente: Boa tarde! Sou o agente comunitário de saúde de combate a dengue do seu bairro, seus pais estão em casa?

Felipe: Boa tarde. Meu pai não está em casa. O que você gostaria?

Agente: Gostaria de olhar o quintal da sua casa. Posso?

Felipe: Claro, entre!

(Felipe e agente de saúde entram em cena)

Agente: Nossa! Quanto lixo nesse quintal! Sabia que todo esse lixo é criadouro para o mosquito da dengue, que gosta de colocar ovinhos aí dentro e de qualquer local que fique água parada. Então, nascem muitos mosquitos que picam as pessoas e as deixam doentes.

Felipe: E como podemos fazer para não ficarmos doentes?

Agente: primeiro, vamos retirar os pratinhos das plantas ou enchê-los com areia para que não fiquem cheios de água e vamos tampar a piscina com uma capa de plástico, trocar a água dos animais todos os dias e manter o quintal limpo. Ah! Não se esquece, também não podemos colocar fogo no lixo do quintal, pois prejudica a saúde e o meio ambiente.

Felipe: Hummmm! Obrigada seu agente! Agora já sei o que fazer!

(o agente de saúde sai de cena e Felipe começa cantar)

“Eu vou

Eu vou

Acabar com a dengue eu vou

 

Lá lá lá lá lá lá lá lá lá lá

Eu vou

Eu vou

 

Eu vou

Eu vou

Acabar com a dengue eu vou

Lá la lá lá lá lá lá lá lá lá lá

Eu vou

Eu vou

 

Eu vou

Eu vou

Limpar o quintal eu vou

Lá la lá lá lá lá lá lá lá lá lá

Eu vou

Eu vou

 

Eu vou

Eu vou

Limpar o quintal eu vou

Lá la lá lá lá lá lá lá lá lá lá

Eu vou

Eu vou…”

  Mosquita da dengue: (entra em cena) Que droga! Esse agente de saúde estragou todos os meus planos! Está orientando todos os moradores para me combater! Hum, mas acho que não sabem que meus ovinhos podem viver fora da água até mais de um ano, e se não cuidarem bem do quintal… há há há há há há há

Eu voltareiiii…

(Felipe e mosquita saem de cena)

Narrador: E alguns dias se passaram, Aninha volta para casa recuperada da dengue.

Aninha: Oi Felipe! Felipeeee, cadê você meu maninho? Feliiiiiipeeee…

Felipe: (entra escondido, fazendo graça com a Irma, até dar um susto nela)

Aninha: Ai, que susto Felipe!

Felipe: Susto? Ah, você que nos deu um susto! Sumida todos esses dias… o que aconteceu?

Aninha: Eu? Eu não! Quem me deu um susto foi essa dengue, fiquei tão mal, fiquei com medo de ser dengue hemorrágica.

Felipe: Dengue o que? Dengue Má-gi-ca?

Aninha: Nãããããooo! Dengue He- mor-ra-gi-caaa!!

Felipe: Ai, meu ouvido! Agora vi, você está mesmo boa! E o que é essa dengue Hemorrágica?

Aninha: é um tipo de dengue que mata, começa a sangrar a gengiva, manchas pelo corpo, e também hemorragia interna, fica espalhado dentro do nosso corpo!

Felipe: Noooossaaaa!! Que louuucuuuuraaaaa!!! Louuuuuuucurraaaaaa!!!!

Aninha: é isso ai pessoal, dengue pode matar! Aqui em casa todos aprendemos a lição, temos que cuidar bem do nosso quintal e do pátio da nossa escola! Vamos combater a dengue juntos!!

(A peça termina, com todos os personagens em cena cantando)

“Se você está contente

Grite viva

Se você está contente

Grite viva

Se você está contente

Quer mostrar a toda gente

Se você está contente

Grite viva

 

Se você está contente

Bata palmas

Se você está contente

Bata palmas

Se você está contente

Quer mostrar a toda gente

Se você está contente

Bata palmas

 

Se você está contente

Bata o pé

Se você está contente

Bata o pé

Se você está contente

Quer mostrar a toda gente

Se você está contente

Bata o pé

 

A peça foi gravada, veja fragmentada em duas partes.

 Imagens marcantes da peça.

This slideshow requires JavaScript.

One thought on “Teatro de Fantoches: “O fim da Picada”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s